O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

DÍZIMO


Dízimo é a devolução a Deus, através de nossa comunidade, de uma parcela de todos os nossos rendimentos em forma de ação de graças pelo muito que d’Ele recebemos. Tudo o que temos e somos vem de Deus. Nós somos apenas meros administradores do que recebemos de sua infinita bondade. Por isso, contribuir com o Dízimo é obedecer a um preceito do Senhor: “Trazei o Dízimo ao Templo do Senhor”(Ml 3,10). O Dízimo é um compromisso seu, individual e intransferível, com Deus, com a Igreja e com os pobres. É uma obrigação assim como amar a Deus e aos irmãos. O amor não é imposto, a contribuição do Dízimo também não pode ser. Deve ser a própria consciência de quem ama a Igreja que determina a obrigação de ser dizimista.

A onde e quanto devo contribuir com o Dízimo?

O Dízimo pertence a Deus, e se pertence a Deus eu devo levá-lo à Igreja onde participo, onde eu celebro a minha fé com os irmãos da comunidade. Como está escrito: “Então, ao lugar que o Senhor, vosso Deus, escolheu para estabelecer nele o seu nome, ali levareis todas as coisas que vos ordeno: vossos holocaustos, vossos sacrifícios, vossos dízimos, vossas primícias e todas as ofertas escolhidas que tiverdes prometido por voto ao Senhor” (Dt 12,11); Um coração agradecido saberá discernir entre 1 e 10% sobre tudo aquilo que ganhar. Como escreve São Paulo: “Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama quem dá com alegria” (2 Cor 9,7). Você deve devolver de Dízimo aquilo que o seu coração manda. Tudo o que você tem vem de Deus e a Ele pertence. Seu dinheiro, seus bens, sua vida, sua família, etc... Ele apenas quer a sua resposta de amor e generosidade que deve se manifestar na comunidade.

  • Calendário de Atividades da Pastoral do Dízimo (2012)

  • COORDENADOR(a):
    Maria do Desterro
    3298.4243/8896.6061